spot_img
InícioNotíciasTravessia da BR-153 para alunos - perigo à vista

Travessia da BR-153 para alunos – perigo à vista

Pais e alunos, políticos, professores e diretores buscam a solução para a não transferência das atividades escolares dos alunos do Colégio Estadual Luiz Carlos da Mota, que fica na Vila Xique-Xique — mesmo bairro da nova escola inaugurada, a Escola Século XXI para o Colégio Militar, no bairro São Sebastião.

O primeiro passo já foi dado. A secretária estadual de Educação, Fátima Gavioli deu sinal verde para a não transferência das atividades escolares do Colégio Luiz Carlos da Mota para o Colégio Militar.

Com a conclusão da Escola Século XXI no Setor Oeste da cidade de Uruaçu – obra que ficou por vários anos paralisada – surge um problema grave que as autoridades têm que observar.
A BR-153, que corta a cidade de Uruaçu e não é duplicada, não possui travessia oficial, e sim pontos inadequados para atravessar de um lado para o outro, inclusive em trechos que já aconteceram inúmeros acidentes com vítimas fatais.
Com o trânsito intenso, a rodovia – a partir da inauguração da Escola Século XXI – está provocando discussão entre os pais de alunos que estudam ou vão ser transferidos para estudar no local onde é hoje o Colégio Militar, que fica do outro lado da BR-153.
O grave problema é exatamente o trecho que corta a cidade da mais movimentada rodovia do Centro-Oeste Brasileiro, a BR-153.
Boa parte de pais e alunos, bem como profissionais da educação e ainda vereadores de Uruaçu estão muito preocupados com a segurança das crianças e jovens que terão que passar pela rodovia.
O governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Educação organizou a inauguração da Escola Século XXI e ajustou junto aos diretores do Colégio Estadual Luiz Carlos da Mota que as atividades sejam transferidas a partir de agosto.
A priori, a Escola Século XXI foi construída com o objetivo de beneficiar os alunos daquela região, exatamente com o fulcro de desafogar as demais unidades de ensino.
“Mudar, ou seja, transferir as atividades do Colégio Militar e Luiz Carlos da Mota nesta situação é nada mais nada menos que colocar a vida de seus alunos, profissionais, professores e servidores que terão que atravessar todos os dias a BR, em risco de morte”, disse um vereador de Uruaçu.
“Uma sugestão de alguns políticos de Uruaçu seria deixar para mais à frente tal transferência, e que a Escola Século XXI fique realmente para a comunidade daqueles setores: Primavera I e II, Vila Xique-Xique, Nossa Senhora Abadia, Parque Paraíso, Madre Paulina, Vila Lopes, Mandacaru, Vila Santana e adjacências”, disse outro vereador da Câmara Municipal.
Outra menção feita pelos líderes políticos de Uruaçu é que não havendo meio seguro de passagem pela BR, e já que a mesma deverá ser duplicada pelo Governo Federal com as travessias no projeto, como por exemplo, viaduto, passarela, sinais eletrônicos, etc., não vê dificuldades em deixar para depois a transferência dos alunos para o novo estabelecimento estudantil.
Com o imbróglio, a comunidade dos pais e alunos dos colégios envolvidos esperam uma decisão acertada que não coloque em risco a vida de todos, inclusive dos administradores das escolas.

Vereadores de Uruaçu em Goiânia com a secretária de Estado da Educação, Aparecida de Fátima Gavioli Soares Pereira

Contra a transferência das atividades das escolas do assunto em lide, estiveram em Goiânia vários vereadores de Uruaçu, inclusive o presidente da Casa de Leis, vereador Chiquinho, o deputado federal Lucas Vergílio e o professor Horbilon Salles, que conseguiram junto à secretária estadual Fátima Gavioli, colocar um freio nestas transferências, pelo menos por enquanto.
“Ninguém saiu vitorioso nesta queda de braço politicamente, quem saíram vitoriosos foram os alunos, evidentemente”, enfatizou o deputado Lucas Vergílio, que representa Uruaçu e é da base do governo.
Por outro lado, o subsecretário regional de Educação, professor Ricardo Pacanaro e alguns diretores de escola insistem na transferência, alegando ser um local diferente, bem montado, espaçoso e adequado para as atividades de todos os envolvidos na questão.

Visão do Ministério Público

O promotor de justiça, Dr. Afonso Antônio Gonçalves, em entrevista ao Programa A Hora do Povo, da Uruaçu FM, falou que a transferência das escolas é uma questão política.

Falou ainda que recebeu em seu gabinete diretores e coordenadores das unidades de ensino envolvidas na questão, melhores instalações que alegaram que a mudança é positiva, principalmente por conta das melhores instalações, que garante mais comodidade e melhor qualidade de ensino para as crianças.

Dr. Afonso reiterou ainda que acompanha com atenção a questão da segurança dos alunos ao atravessarem a BR para estudarem e que espera uma solução adequada o quanto antes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
spot_imgspot_img

.Artigos Relacionados
Artigos

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com