InícioNotíciasMoraes ataca partido de Bolsonaro após denúncia de vulnerabilidade das urnas

Moraes ataca partido de Bolsonaro após denúncia de vulnerabilidade das urnas

1

Mais cedo, o partido divulgou um documento em que afirma que o TSE estaria deixando nas mãos de alguns técnicos “um poder absoluto de manipular resultados da eleição, sem deixar qualquer rastro”

O PL, partido de Jair Bolsonaro, divulgou ontem (28), um documento com severas críticas aos sistemas de TI do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A quatro dias da eleição, o partido diz que “o quadro de atraso” encontrado no tribunal “gera vulnerabilidades relevantes.”

O documento foi encaminhado a O Antagonista por membros do partido e corrobora as críticas que vêm sendo feitas pelo presidente da República.

Na nota de duas páginas, o PL afirma que “a governança e gestão de segurança e de tecnologia da informação revelam extrema insuficiência”.

“Não se encontrou um Sistema de Gestão de Segurança da Informação, como determina resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Falta independência funcional na unidade responsável pela segurança cibernética, porque ela se reporta à Secretaria de TI e não à alta administração do TSE, como exigem boas práticas e normas de segurança da informação”, dizem os autores.

Em outro ponto, o partido declara que “somente um grupo restrito de servidores e colaboradores do TSE controla todo o código-fonte dos programas da urna eletrônica e dos sistemas eleitorais.”

Os analistas da sigla argumentam que não haveria controle externo e esse fato geraria, nas mãos de alguns técnicos, “um poder absoluto de manipular resultados da eleição, sem deixar qualquer rastro.”

O partido diz que identificou 24 falhas em seu “Relatório de Auditoria de Conformidade do PL no TSE”. No entanto, não apresentou quais seriam essas falhas.

Moraes inclui PL em inquérito das fake news após documento sobre sistema eleitoral

Na noite desta quarta-feira (28), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disse que o ministro Alexandre de Moraes, presidente da Corte, ordenou que a auditoria do sistema eleitoral feita pelo PL, divulgada mais cedo, seja alvo de investigação no inquérito das fake news para apurar eventual “responsabilidade criminal de seus idealizadores”. As informações são do Correio Braziliense.

Ministro Alexandre de Moraes

Em um documento de duas páginas, a sigla do presidente Jair Bolsonaro alega ter encontrado risco de invasão interna ou externa nos sistemas eleitorais, “com grave impacto nos resultados das eleições de outubro”; e um “poder absoluto” de alguns técnicos da Corte para “manipular resultados da eleição, sem deixar qualquer rastro”.

Moraes ordenou ainda que o documento seja enviada à Corregedoria-Geral Eleitoral para instauração de procedimento administrativo e apuração de responsabilidade do Partido Liberal e seus dirigentes, em “eventual desvio de finalidade na utilização de recursos do Fundo Partidário” para financiar a auditoria no sistema eleitoral.

Por O Antagonista/Terra Brasil Notícias

Por:
spot_imgspot_img

.Artigos Relacionados
Artigos