spot_img
InícioNotíciasMais de 6 mil policiais irão atuar na segurança no dia das...

Mais de 6 mil policiais irão atuar na segurança no dia das eleições em Goiás

SSP disse que trabalharão 6 mil policiais militares, 600 policiais civis, além de militares do Corpo de Bombeiros. TRE-GO se juntou a forças de segurança e outros órgãos para assinar protocolo de segurança.

Mais de 6 mil policiais irão atuar na segurança no dia das eleições em Goiás, segundo o secretário Renato Brum, da Secretaria de Segurança Pública (SSP-GO). Ele contou que serão 6 mil policiais militares, 600 policiais civis, além de militares do Corpo de Bombeiros. O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) se juntou a forças policiais e outros órgãos para assinar um protocolo de segurança.

“Estaremos de prontidão para dar a garantia da ordem no dia das eleições, trabalhando de forma integrada com as forças de Segurança Pública Federal, com a Polícia Rodoviária Federal, afim de garantir a tranquilidade, a liberdade de ir e vir e a manifestação individual e a expressão política de cada cidadão goiano”, disse o secretário.

A assinatura do termo de compromisso pela segurança e normalidade das eleições aconteceu na tarde desta quinta-feira (29), no auditório do TRE, no Setor Central, em Goiânia.

Além da SSP-GO, o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) se juntou à as superintendências das polícias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF), Ministério Público de Goiás (MPGO) e Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) para assinar o protocolo.

O presidente do TRE Itaney Francisco disse que o intuito, com a união junto às forças policiais e demais órgãos, é prevenir e reprimir ocorrências de violência político-partidária que possam colocar em risco a normalidade do processo eleitoral e a posse dos eleitos nas eleições de 2022.

“O nosso maior desejo é que todos os cidadãos compareçam às urnas para votar. Claro, secundariamente, que possam votar tranquilamente, sem nenhum tumulto, de forma tranquila e ordeira”, disse o presidente do TRE-GO.

Cassandra Ferreira, superintendente da Polícia Federal, disse que a corporação trabalha para o dia 2 de outubro desde que acabou a última eleição. O objetivo é que os trabalhos neste ano ocorram na “maior tranquilidade possível”.

“Nosso trabalho, além de ter feito a segurança dos candidatos à presidência da república, atua também diretamente nas áreas de apuração e repressão aos crimes eleitorais, em colaboração com a Justiça Eleitoral, e com as demais forças de segurança, que também estão integradas no estado”, contou a superintendente da PF.

Ainda segundo o secretário da SSP, no caso de crime eleitoral, os detidos tem um lugar específico para ser levado. “Aqui na capital, será levado para a sede da Polícia Federal e, nas cidades que não possuem, nós teremos centrais de flagrante”, disse.

Brum falou ainda sobre o uso de armas dentro das cabines de votação, que é proibido. “Serão advertidos, primeiro será observado que quem pode estar armado somente aqueles que estiverem de serviço”, contou.

Assinaram o documento os desembargadores Itaney Francisco e Carlos Alberto França, presidente do TJ-GO; o procurador Regional Eleitoral (PRE-GO) Célio Vieira da Silva; o coronel Renato Brum, da SSP; a superintendente da PF Cassandra; e o superintendente da PRF Luiz Fernando Naves. O procurador-geral de Justiça Aylton Flávio Vechi não foi ao evento, mas deve assinar depois.

Por Danielle Oliveira, g1 Goiás

DEIXE SEU COMENTÁRIO
spot_imgspot_img

.Artigos Relacionados
Artigos

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com