spot_img
InícioNotíciasGoiás deve registrar 3º maior crescimento do PIB do país no período...

Goiás deve registrar 3º maior crescimento do PIB do país no período da pandemia

Impulsionado pelo agronegócio, Produto Interno Bruto goiano pode avançar 4,5% no acumulado de 2020 a 2022. “Graças à tecnologia e ao agricultor, Goiás bate recordes. É um Estado de excelência com o resultado da economia”, ressalta governador Ronaldo Caiado

O Produto Interno Bruto de Goiás (PIB) no período da pandemia (2020/2022) deve crescer 4,5% na comparação com 2019, ano anterior ao da crise sanitária provocada pela Covid-19. A informação é da MB Associados e foi divulgada na segunda-feira (11/4) pelo jornal Folha de S. Paulo. Esse percentual vai colocar o Estado na terceira posição nacional, atrás apenas de Mato Grosso do Sul (4,9%) e Tocantins (4,7%). No mesmo período, o PIB do país irá registrar crescimento de apenas 0,5%.

Segundo a MB Associados, o crescimento maior do PIB de Goiás, Mato Grosso do Sul e Tocantins no período de pandemia se confirmará graças ao avanço dos preços das commodities atreladas ao agronegócio. No ano de 2019 o PIB goiano cresceu, oficialmente, 2,2%, somando R$ 208,6 bilhões, o que determina três anos consecutivos de resultados positivos após quedas em 2015 e 2016. “Graças à tecnologia e ao agricultor, Goiás bate recordes. É um estado de excelência com o resultado da nossa economia”, afirma o governador Ronaldo Caiado.

Também em 2019, a economia de Goiás representou 2,8% da nacional, ficando na nona posição no país. Todos os setores econômicos contribuíram para o avanço do PIB no ano que antecedeu a pandemia mundial. A agropecuária avançou 1,4%, a indústria, que vinha apresentando queda desde 2015, cresceu 2,9% em 2019, na comparação com 2018, e o setor de serviços cresceu 1,9%.

Ainda conforme a MB Associados, com a valorização das commodities na pandemia, as projeções foram puxadas para cima em estados cuja economia estão atreladas ao agronegócio. Relatório publicado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), do final de 2021, aponta que a valorização desses ativos ocorre em razão da recuperação das atividades econômicas globais à medida que os países avançam em seus esforços de vacinar as populações e, subsequentemente, removem as restrições de deslocamento.

Titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Joel Sant’Anna Braga Filho, destacou que esse resultado ocorre em razão da força e crescimento das atividades econômicas de Goiás. Segundo ele, a economia goiana tem se expandido e aberto várias janelas de oportunidades, com a geração de empregos e de renda, fundamentais para promover o crescimento. “Já esperávamos esse resultado positivo do nosso PIB. Não será nenhuma novidade se, no fechamento dos números, Goiás pular para a parte alta do pódio. Muitas ações estão sendo desencadeadas e não estão atreladas diretamente ao agronegócio. E serão essenciais para crescer ainda mais nossa economia”, disse o secretário, para lembrar que o Programa Cinturão da Moda é uma delas, com perspectiva de gerar milhares de empregos.

Em relação ao PIB brasileiro, em 2020, primeiro ano da pandemia, houve uma forte queda de 3,9%, mas cresceu em 2021 (4,6%), conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A MB projeta estagnação desse resultado em 2022, com expectativa de variação nula, o que promoverá um leve avanço de 0,5% nos três anos de pandemia no Brasil frente a 2019.

No acumulado de 2020 a 2022, pelo menos 15 unidades da Federação (14 estados mais o Distrito Federal) devem apresentar variação superior à do PIB brasileiro, sempre de acordo com a MB Associados.

Fotos: Lucas Diener

Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) – Governo de Goiás

DEIXE SEU COMENTÁRIO
spot_imgspot_img

.Artigos Relacionados
Artigos

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com