17/08/2017 06:52

Escoamento da produção e acesso ao turismo só de avião

CATEGORIA: economia

”Estradas de terra, uma dura realidade no município de Niquelândia. O acesso às propriedades de pousadas, estancias, ranchos e as plantações de soja na região que liga o Major ao lago Serra da Mesa está esquecido pelo poder público do município”.

 

Fomentar o turismo, escoar a produção, serão desafios ao ser enfrentados por proprietários de fazendas e de pontos turísticos no lago Serra da Mesa no município de Niquelândia.

Detentora de uma plantação de soja invejável, e de vários pontos turísticos como, por exemplo, a Estância Serra da Mesa que oferece um local exuberante para as famílias passarem o final de semana, a região que vai do Major até o lago Serra da Mesa que é uma das maiores no turismo e na plantação de soja, são centenas e mais centenas de hectares do produto plantado na região,  simplesmente está abandonada pelo poder público.

A via de acesso às regiões das plantações de soja e os pontos turísticos, simplesmente estão intransitáveis. Cerca de 36 quilômetros de estradas esburacadas, com poças profundas de água no meio da estrada, buracos de todo tamanho, uma via sem conservação e sem atenção do poder público, proporciona aos turistas e proprietários das propriedades existentes na região, nada mais nada menos que uma hora de viagem saindo do ponto do Major na GO 237 até as propriedades as margens do Lago(36km).

 Como fomentar o turismo na região se não há acesso? Como transportar os produtos alí produzidos sem estrada de acesso? São perguntas sem respostas até então feitas pelos motoristas que por lá trafegam.

É uma viagem sem volta. Quem vai visitar algum empreendimento na região para descansar nos feriados ou finais de semana, não voltam mais. Não existe descaso maior o que estão fazendo naquela região.

Nossa reportagem foi até o local depois de denúncia de alguns motoristas e turistas de Goiânia que foram passar o feriado na Estancia Serra da Mesa. Foi uma viagem de arrepiar. O acesso literalmente foi deteriorado pelo tempo, sem nenhuma assistência por parte dos responsáveis. Quantos milhões de reais foram investidos naquela região pelos proprietários dos empreendimentos turísticos? Quantos milhões foram investidos nas fazendas de plantações de soja e outros produtos? E agora?

Sem falar no movimento que é intenso e está acabando por causa da precária situação da rodovia. Os agentes públicos não podem deixar correr solto uma situação dessas. Seja na esfera municipal, estadual ou federal. Alguma coisa precisa ser feita.

É o dinheiro dos impostos indo pelo ralo, e os investimentos feitos nas edificações da região também saindo pelo ralo por falta de estrutura nas vias de acesso.

Veja nas fotos a situação da estrada que estamos comentando nesta matéria. É de fazer dó. Não têm motorista e turista que suportam uma situação dessas. Ainda para completar, com a falta de apoio dos governos, o desemprego cresce na região e os prejuízos são iminentes chegando ao ponto de algumas pousadas fecharem as portas por falta de acesso de seus clientes.

 Por outro lado, para chegarem às estradas vicinais, aos locais turísticos, a situação ainda é pior praticamente não existe estrada.

 

PUBLICIDADE